O ciclo solar

3 02 2018

Joe Robinson

Neste artigo veremos o que é exatamente o ciclo solar, como ele afeta a propagação e como seguir suas condições com base na atividade solar.

Lee Badman escreveu um artigo em que define: “Ele (o ciclo solar) ocorre dentro de um período de 11 anos cujo pico está na metade dele. Simplificando, mais manchas solares implicam em melhor propagação e mais atividade nas faixas.

“Nós estamos em pleno ciclo 24. Eles são numerados desde o primeiro observado por cientistas. Ele demorou bastante a dar sinais de sua presença, deixando radioescutas e radioamadores em compasso de espera por melhores condições.”

O ciclo de 11 anos é o que causa as altas e baixas nas condições de propagação e captações DX excelentes a não existentes em várias faixas. Há quem afirme que o pico deste ciclo foi em meados de Maio de 2013, mas ele foi o pior (ou mais quieto) em matéria de condições solares nos últimos 80 anos. Em muito do que li sobre o assunto e do material disponibilizado pelo National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), não há consenso sobre a duração, intensidade e os resultados do ciclo 24.

Uma das melhores coisas a fazer é efetuar um bandscan em uma ou mais faixas de sua preferência, em horário em que se saiba que há atividade. Outra opção é sintonizar a WWV no minuto 18 de cada hora, quando são transmitidas as informações de atividade solar e condições de propagação.

A parte mais importante das transmissões da WWV’s para os ouvinte de ondas curtas/médias é o alerta passado no minuto 18 de cada hora. Ele inclui as condições atuais e uma previsão para as próximas 24 horas. As seguintes informações compõem os alertas:

Fluxo solar: refere-se a intensidade de emissões solares em 2800 MHz. Ele pode variar entre 67 e 300 (ou mais). Boas condições ocorrem quanto maior for o valor do fluxo solar.

Índice A: média de 3 horas dos índices K (ver índice K abaixo) em um período de 24 horas. Expressa o valor da atividade geomagnética do Sol, e pode ir de 0 a 400. Um índice A de 0-7 indica condições calmas, 8-15 perturbado, 16-29 ativo, 16-29 tempestuoso e 30+ tempestade severa.

Índice K: atividade geomagnética medida em Boulder, Colorado e atualizada a cada três horas. Opera em uma escala semi-logarítmica que vai de 0 a 9 e quanto maior significa que as condições estão mais perturbadas.

Atividade solar: geralmente uma de quatro condições; quieta (menos de um evento solar por dia), ativa (ao menos um ou mais eventos por dia), ejeção de prótons (ejeção solar que produz flutuação no nível de prótons próximos à Terra) e ejeção solar (erupções na “superfície” do sol que dura por ao menos um período, causando interrupções na recepção de rádio).

Campo geomagnético: condições baseadas no índice A; pode ser descrito como quieto, perturbado, ativo, tempestade menor/maior/severo.

Você pode acompanhar os índices A e K Indices, atividade solar, condições geomagnéticas e propagação nas faixas de HF e VHF em páginas como http://www.hamqsl.com/solar3.html. Isso pode abreviar o trabalho de aguardar a WWV. Informações mais detalhadas também podem ser obtidas no artigo Basics of Radio Propagation, redigido por Dr. Edwin C. Jones, em http://ecjones.org/propag.html.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx


Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: