Voz do Vietnã

4 05 2018

Desde meu primeiro contato com esta emissora, achei bastante interessante a atenção dada, e mesmo depois de tantos anos ainda recebo cartões de felicitação pela passagem de ano. A flâmula é muito bonita.





Voz do Vale FM – Cândido Mota/SP

2 05 2018

Aberturas que privilegiam o oeste paulista e norte do Paraná geralmente trazem a referida emissora com sinal bastante claro. É uma pena que de todas as vezes em que a ouvi não recebi resposta, o que não deixa de denotar um certo desleixo para com o ouvinte.

A Voz do Vale FM foi sintonizada em Sorocaba/SP na frequência de 103,3 MHz conforme áudio abaixo:





Jovem Pan – Piracicaba/SP

30 04 2018

Embora seja uma emissora de fácil captação, o desafio de conseguir a confirmação de uma emissora que opera em rede é sempre alto. Felizmente se deram ao trabalho até de preparar uma carta bastante agradável e informativa.





Faro del Caribe

28 04 2018

E. J. Whitehead

Entre as diversas emissoras latino americanas estão algumas estações não comerciais que buscam a melhora no nível educacional e cultural de suas populações apesar das dificuldades. Considerando a luta constante para obter fundos, para encontrar pessoal adequado e manter equipamentos desatualizados em funcionamento, é um pequeno milagre que elas continuem ano após ano e talvez seja mesmo pela graça de Deus que elas conseguem sobreviver. Uma delas é a TIFC, Faro del Caribe.

A Faro del Caribe foi fundada pelo líder religioso Clarence Jones em 1945. Naquele ano, Jones estava consciente da necessidade de uma emissora cristã na Costa Rica e fundou a emissora TIFA. O controle dela foi por pouco tempo e a posse da emissora foi para as mãos do costa-riquenho com ascendência italiana Francisco Arie. Arie, por sua vez, vendeu a TIFA à Missão Latino Americana (LAM) em 1947, evento este que iniciou a história moderna da TIFC.

Logo após assumir o controle da TIFA, a LAM começou modernizar as instalações e a recrutar pessoal adicional. Fundos foram arrecadados por uma campanha liderada pelo Dr. Kenneth Stacham, o que levou à substituição de equipamentos antigos. Entre o novo pessoal a compor a equipe estavam um engenheiro e missionário e dois ajudantes que começaram a trabalhar no Natal de 1947. Com isso, a TIFC começou  a fazer transmissões de teste com conteúdo do oratório “O Messias”. Apenas em fevereiro do ano seguinte começaram as transmissões regulares.

A emissora hoje

O nome Faro del Caribe, ou Farol do Caribe em Português, reflete o objetivo de iluminar o caminho para uma vida melhor de sua audiência. Para isso, a a TIFC (TI para Costa Rica e FC para Faro del Caribe) busca desenvolver as faculdades intelectuais e morais da nação e servindo à população o “pão diário” por meio de sua programação evangélica.

Como se trata de uma emissora não comercial, a TIFC é mantida apenas pela contribuição de sua audiência, notadamente os Evangélicos da Costa Rica, que apesar dos seus parcos recursos generosamente mantêm a emissora. Mais de 30 mil dólares foram arrecadados e investidos em novos equipamentos e instalações e, atualmente, uma campanha para arrecadar outros 20 mil dólares está em curso.

A emissora opera com uma equipe de onze pessoas em uma casa localizada em San José, a capital da Costa Rica. Administrada por Don Federico Picado O., o pessoal também inclui duas secretárias; três locutores: Isral Zuñiga, Franklin Valverde e Rafael Martinez; o diretor de programação Manuel Viquez; um assistente administrativo e três pessoas responsáveis pelo departamento de engenharia consistindo de um engenheiro, Thelvin Cabezas e dois técnicos.

Para levar ao ar a mensagem da Bíblia aos ouvintes da América Central e Caribe, ela transmite em dois idiomas e quatro frequências. A maior parte de sua programação é em Espanhol e tem início às 10:00 UTC. A programação em Inglês também é levada ao ar diariamente, começando às 03:00 UTC. Um novo transmissor de 5 kW é usado para ondas médias (1057 kHz), enquanto o mais antigo (1 kW) é usado nas frequências conhecidas de 6037 e 9645 kHz. A frequência de 97,1 MHz em FM também é utilizada, mas com apenas 250 watts. Uma torre com 75 metros de altura irradia os sinais em ondas médias, enquanto para ondas curtas é empregada uma antena dipolo.

Em sua transmissão noturna de 70 minutos (90 nos fins de semana) em Inglês, a Faro del Caribe apresenta conteúdo noticioso produzido pela Voz da América e programas religiosos variados. Entre os destaques estão os programas “Shew me a penny”, “Hour of decision”, “Baptist hour”, “Unshackled” e “The hobby of the kings”.

Milhares de cartas a cada ano são a testemunha da eficiência do trabalho evangelizador da emissora. Todas as cartas são respondidas e informes de recepção corretos, que variam entre 70 e 180 a cada mês são devidamente contestadas com cartão QSL, carta pessoal e folheto religioso. Flâmulas não estão disponíveis no momento, mas há planos de emissão de uma durante a celebração do próximo aniversário da emissora.

Tempos de crise

A TIFC sofre com um pequeno contingente, problema este que constantemente desafia a operação normal da emissora. A situação é grave a ponto que a perda de algum funcionário de setor vital pode tornar inviável sua operação. Sharon Taylor, Secretária do Serviço em Inglês explica: “precisamos de ao menos dois engenheiros. Nós temos um, mas ele não pode estar aqui o tempo todo e os ajudantes também passam pela mesma situação. Recentemente recebemos a triste notícia de que nosso engenheiro está indo trabalhar em outro emprego. Agradecemos as orações no sentido de resolver mais este problema.

Um vislumbre de esperança

Conforme se aproxima de seu 25º aniversário, a TIFC olha para o futuro com a esperança de que os problemas atuais serão favoravelmente resolvidos. Então, apesar dos problemas atuais, a Faro del Caribe tem buscado a melhora na recepção na zona rural da Costa Rica na faixa de 60 metros. A permissão para operar na frequência de 5020 kHz já foi obtida do governo do país caso a campanha de levantamento de fundos para a aquisição de um transmissor para operar nesta frequência tenha sucesso iniciará no próximo ano.

Embora a TIFC tenha alcance mundial, sua área de cobertura principal é a Costa Rica. Entre cafezais e bananais, a Faro del Caribe, com o duplo propósito de evangelizar e iluminar as mentes de seus ouvintes, trabalha sem descanso para ajudar na caminhada rumo a uma vida melhor a quem nos segue.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx





Rádio Capixaba – Vitória/ES

26 04 2018

De sintonia bem mais fácil e constante ao longo do ano em ondas tropicais, a Rádio Capixaba resolveu dar o ar da graça em sua frequência na faixa de ondas médias.

A Rádio Capixaba foi captada em Sorocaba/SP na frequência de 1050 kHz conforme áudio abaixo:





98 FM – Apucarana/PR

24 04 2018

Confirmar esta emissora, apesar de ter recebido não mais que o PPC, teve um gosto especial, principalmente porque se trata de um tipo inédito de escuta e por mais que tenha me deparado com boas aberturas troposféricas é difícil crer que tão logo uma repetição será possível.





Ouvindo ondas tropicais

22 04 2018

Michael P. Mahoney

Um das mais ignorados e intrigantes aspectos do Dexismo é a escuta das Ondas Tropicais. Muitas pessoas tem receio em praticá-la por conta dos problemas encontrados para entender os idiomas utilizados nesta faixa; outros nem mesmo sabem que ela existe! Isso é uma pena, pois quem a ignora perde a chance de ouvir a programação que reflete outras culturas muitas vezes não apresentadas por emissoras internacionais. Sem contar que, se você for um Dexista sério, tem quatro outras faixas para se divertir!

Estas quatro faixas são: a) a de 60 metros, onde a maioria das emissoras pode ser encontrada entre 4700 e 5100 kHz; b) a de 75 metros, entre 3950 e 4000 kHz; c) a de 90 metros, entre 3200 e 3400 kHz e a de 120 metros, entre 2350 e 2500 kHz.

Esse conjunto de frequências foi alocado para as regiões tropicais do planeta pela União Internacional de Telecomunicações, em Genebra, Suíça. Seguem os principais fatores que contribuíram para o estabelecimento das ondas tropicais: 1) a maioria dos países da zona Equatorial são subdesenvolvidos, então existe a necessidade de que algumas emissoras cubram regiões vastas; 2) uma vez que os países tropicais sofrem com alta incidência de tempestades elétricas durante o ano inteiro, tornando muitas vezes a transmissão em ondas médias inviável em diversas ocasiões; 3) as faixas internacionais de radiodifusão (25, 31 e 49 metros) já são altamente ocupadas mesmo sem a presença de emissoras domésticas; 4) Levando em conta que as frequências abaixo dos 6 MHz não são sempre confiáveis para transmissão a longa distância, as faixas tropicais parecem ser o lugar ideal para as emissoras que não buscam cobrir áreas maiores que 1000 a 2000 km e, em alguns casos com distância até mesmo menor.

Como as emissoras de ondas tropicais operam com objetivo de cobertura doméstica, diversos idiomas inexistentes fora delas pode ser bastante razoável. E, juntamente com a dificuldade de tentar entender o Espanhol e Português da América Latina, idiomas locais da África e Ásia, bem como os sotaque dos idiomas coloniais (Inglês e Francês) podem apresentar um grande desafio para o ouvinte. No caso de estações africanas transmitindo em Inglês o sotaque é realmente muito forte ou há até mesmo a presença de variantes dele existente em uma região em particular, tornando a compreensão bastante difícil.

Mas, para contrabalançar a barreira do idioma (e ao mesmo tempo ajudando o Dexista), mais e mais emissoras de ondas tropicais levam ao ar anúncios comerciais. E, uma boa parcela dos produtos anunciados são conhecidos dos consumidores norte americanos.

O maior número de emissoras desta faixa está concentrado em uma região, a América Latina. A maioria é de propriedade de entidades privadas, similar ao panorama da América do Norte. Sua manutenção vem totalmente da rendas dos anúncios. Isso fica bastante evidente quando uma emissora leva ao ar 18 comerciais em sequência!

A cena radiofônica na Ásia e África é um pouco diferente da América Latina. Quase todas as emissoras são de propriedade ou associadas ao governo dos países em que estão instaladas. Muitas delas são financiadas por taxas pagas pelos cidadãos do país ou subsídios dos governos. A radiodifusão comercial é bastante recente. Os melhores países para encontrar campanhas comerciais são: África do Sul, Rodésia, Moçambique, Suazilândia, Quênia, Malawi, Gana e Nigéria.

Na Oceania, todas as emissoras estão ligadas a governos. Embora a Austrália (e agora a Nova Zelândia) possua emissoras comerciais em ondas médias, as ondas curtas são reservadas à agências governamentais. Algumas das melhores emissoras da Oceania pertencem à Australian Broadcasting Commission. Há algumas poucas emissoras que levam ao ar anúncios, notadamente das Ilhas Salomão, Fiji e Nova Caledônia.

Agora que temos uma ideia do que são as ondas tropicais,  é importante falar sobre algumas formas de entrar em contato com as emissoras quando do envio de informes de recepção. Tente usar as diretivas abaixo para cada informe enviado:

  1. Tente enviar os informes no idioma ouvido ou na língua oficial do país da emissora;
  2. Seja mais explícito quando informar os dados da recepção, explicando as condições em palavras.
  3. Tente incluir nomes de músicas, se possível. Caso hajam anúncios, inclua os nomes dos produtos e patrocinadores. No caso de diversas emissoras latino americanas esta é a única forma de determinar se o Dexista ouviu determinada emissora ou não.
  4. Lembre-se que essas emissoras tem como alvo o público local. Muitas delas não têm condições de tratar um grande volume de correspondências de ouvintes do exterior. Ao menos um ou dois cupons de resposta internacionais (IRCs) devem ser incluídos com cada informe. Caso a emissora esteja em localidades muito remotas é recomendável o envio de selos do país de origem ao invés de usar IRCs, pois é bem provável que o correio local não esteja em condições ou mesmo não aceite recebê-los.
  5. Envie alguma lembrança ou cartão postal da sua cidade ou região junto com o informe. É um pequeno gesto de amizade e boa vontade.
  6. Acima de tudo, não exija da emissora uma confirmação. Um QSL é um favor da parte da emissora. Na radiodifusão em ondas tropicais, trata-se mais de um gesto de boa vontade, pois estão confirmando informes os quais nunca solicitaram e que possivelmente não tem utilidade.

Antes de encerrar, gostaria de ressaltar uma regra importante da escuta em ondas tropicais – esta faixa proporciona captações a longa distância sob total ou em condições próximas em caminhos sob escuridão. Então, para a África o final da noite/amanhecer  ou fim de da tarde/anoitecer. Para a Oceania e Ásia o amanhecer é a melhor opção. A América Latina pode ser captada do anoitecer ao alvorecer.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx